Vídeo de ex-Policial agredido por vereador em Linhares é assunto mais comentado nas redes sociais

Na tarde deste domingo (06), durante a votação com clima de disputa eleitoral elevado em todo o país para eleger Conselheiros Tutelares, os ânimos se acirraram em Linhares entre o vereador Rogerinho do Gás e o ex-policial e professor, Juliano Cesar, que acabaram chegando às vias de fatos com o professor sendo agredido por um soco no olho pelo vereador Rogerinho.

Com o rosto ainda cheio de sangue, o professor imediatamente após a agressão, acionou a policia militar, fez boletim de ocorrência na policia civil e gravou um vídeo relatando a situação que envolveu a agressão por parte do parlamentar.

No inicio da noite de ontem o vídeo gravado pelo professor já tinha virilizado nas redes sociais e era até o momento é o assunto mais comentado da cidade.

 De acordo com um vídeo gravado pelo professor agredido, tudo teve inicio, nas proximidades da Escola Municipal de Ensino Fundamental, Prefeito Roberto Calmon, no bairro Aviso.

No vídeo o professor diz que foi interpelado pelo vereador por suspeitarem que ele estava filmando algumas pessoas em frente a escola, informação que ele nega. Após a acusação do vereador o professor disse que o vereador que devia explicações à população por ser acusado e responder a processo por furto de energia.

Neste momento ainda segundo o agredido, o vereador o agrediu com um soco no rosto e saiu correndo, entrou em seu carro e abandonou rapidamente o local.

Gato de Energia

O vereador de Linhares Rogerinho do Gás e a esposa dele, Sônia Cremonini, viraram réus em um processo que investiga furto de energia elétrica no Espírito Santo. Casa e depósito de gás do vereador foram alvos de uma operação em março deste ano.

Segundo as investigações, a suspeita é de que o “gato” de energia estava sendo usado há pelo menos 10 anos.

A esposa do vereador chegou a ser presa, disse que não tinha conhecimento do crime e pagou uma fiança de R$ 5 mil para ser solta.

Após o caso ganhar grande repercussão em Linhares e no Estado, o vereador por meio de sua assessoria enviou nota a impressa relatando sua versão dos fatos.

Segue nota:

Ao se deslocar para a votação do Conselho Tutelar na escola Roberto Calmon, o vereador Rogerinho foi abordado por eleitores que estavam se sentindo incomodados com dizeres do senhor Juliano Cezar.

Na tentativa de tentar conversar com o cidadão e amenizar a situação, o vereador e sua família também foram agredidos verbalmente por ele na presença de diversas pessoas. Juliano provocou Rogerinho com palavras desonrosas, momento em que impelido pelo domínio de emoção, revidou.

O vereador declara que é contra qualquer tipo de violência e garante que tal fato foi isolado, e lamenta o ocorrido.

Após tais fatos, nas redes sociais do senhor Juliano, o mesmo agride novamente o vereador e à Casa de Leis, bem como a família do vereador. É nítido que desde o princípio a intenção do senhor Juliano era provocar o vereador, com a finalidade de se auto promover politicamente.

Declaro ainda publicamente que mesmo tendo sido provocado por meio de agressões sinto-me arrependido pelo comportamento tomado em impulso.

Deixe uma resposta