UPA Infantil registra média de 260 atendimentos por dia de pacientes com sintomas de síndromes respiratórias

A Unidade de Pronto Atendimento Infantil 24 horas, no bairro Shell, tem registrado nos últimos dias, um aumento de atendimentos de casos de crianças com síndromes gripais.

O fato tem chamado a atenção dos profissionais de saúde que atendem as demandas dos pacientes. Atualmente a média de atendimentos diários da UPA é de 250 e a maioria dos casos têm sido de síndromes gripais. Antes da epidemia de gripe, a média de atendimento era de 130 pacientes por dia.

Nesta segunda-feira, dia 3, por exemplo, a UPA registrou o atendimento de 261 crianças sendo que deste total 177 foram diagnosticadas com alguma síndrome respiratória, num índice de 67% de casos positivados.

Até o momento, não foi confirmado nenhum caso de H3N2 em crianças no Município. A UPA possui uma equipe permanente de 26 profissionais de saúde, entre eles médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos e assistente social.

A médica pediatra da UPA Infantil 24 horas, Dra. Bárbara Agrizzi, explica que o que mais predominou foram ocorrências relacionadas a síndrome gripal. “O resfriado comum é mais leve, com tosse e algumas vezes febre, sendo um quadro limitado de 5 dias.

A gripe já é um caso diferente, além de coriza e obstrução nasal, tem o mau estar. Casos de covid-19, há a perda do paladar, olfato e a falta de ar. A covid-19 geralmente é manifestada com 7 ou 8 dias. Nesse período atípico de chuva, tem surgido muitos quadros de síndromes gripais, o que para a população fica difícil de distinguir”, detalha.

Bárbara pontua que o importante é que as pessoas se hidratem bastante e procurem a Unidade Básica de Saúde mais próxima e caso a equipe de profissionais da Unidade avalie a necessidade o paciente é encaminhado para a UPA Infantil ou para o HGL.

“A orientação que deixamos é que as pessoas evitem aglomerações, porque podem evitar que haja a transmissão ou a aquisição dessas doenças”, reforça a médica.

A diretora da UPA Infantil 24 Horas, Débora Tesch, esclarece que a vacina contra a influenza é segura e previne contra as formas mais graves da doença, inclusive em crianças, e está disponível em todas as salas de vacinação do Município.

“Como a campanha ocorreu em paralelo à vacinação contra a covid-19, percebemos que muitas pessoas ficaram temerosas em receber os dois imunizantes”, destaca a diretora.