Presidente da Assembleia Legislativa entra na justiça contra instalação de 46 radares em trecho da Br-101 em solo capixaba e cobra duplicação da rodovia

O Presidente da Assembleia Legislativa Erick Musso (Republicanos), mais uma vez, em menos de 15 dias, se posicionou em um tema delicado e de grande importância para a população Capixaba.

O primeiro posicionamento que também teve muita repercussão, ocorreu no dia (16) de abril, quando o deputado tuitou em sua conta, que é a favor da reabertura do comércio no Espirito Santo.

“Tudo é possível com responsabilidade e compromisso coletivo. Os cuidados com a vida e com a saúde e a preservação da atividade econômica podem acontecer simultaneamente. O comércio precisa voltar a funcionar, respeitando sempre os protocolos de prevenção e segurança”, escreveu em suas redes sociais.

Musso destacou ainda, que o setor é um dos que mais gera emprego no país, entendendo que os comerciantes têm cumprido todas as regras estabelecidas pelas autoridades de saúde de prevenção ao novo coronavírus.

Agora, na última sexta-feira (30), o Republicano voltou as redes sociais, onde publicou um vídeo declarando que entrou com representação no Ministério Público Federal, exigindo da Eco 101, que execute o mais rápido possível, a duplicação da BR-101 no Espirito Santo e que seja suspensa a instalação de 46 radares na rodovia que corta o território capixaba, ação que já entrou em execução pela concessionária.

“Divido com vocês uma importante medida que tomei em defesa dos direitos dos cidadãos capixabas, usuários, moradores, empresários e comerciantes que utilizam a BR 101, no trecho que corta o Espírito Santo.

Entrei com uma representação junto ao Ministério Público Federal contra a Eco 101, exigindo a duplicação de fato da BR 101 ES e solicitando que sejam adotadas as providências necessárias contra a anunciada instalação pela empresa de 46 radares.

O contrato assumido pela concessionária visa à duplicação de todo a rodovia, mas até agora poucos quilômetros foram duplicados. A rodovia encontra-se em péssimas condições, sem a realização de obras de duplicação das pistas, colocando em risco a vida e a segurança de todos que por ali transitam”, afirmou Erick.

Em outro trecho do vídeo, se mostrando bastante contrariado com as ações tomadas pela Eco 101 em relação a instalação dos radares e da inação no que concerne a efetividade da duplicação da BR, somado a crise econômica e desemprego causados pela pandemia, Musso disse.

“Esse fato, somada à má conservação da rodovia, tem contribuído para a grande maioria de acidentes com mortes na via. Agora querem instalar 46 radares. Um outro absurdo contra a sociedade.

Com a economia em crise, causado pela pandemia que trouxe um quadro de desemprego desesperador, fome, alta dos preços dos produtos e serviços e fechamento de milhares de negócios, essa medida da Eco 101 é um absurdo sem tamanho. Exigimos respeito ao contribuinte. E contamos com a Justiça para que isso seja feito”, disse Musso.

A Eco 101 concessionária de rodovias, ganhou a concessão para administrar e conservar durante 25 anos, 475,9 quilômetros da BR-101, no trecho compreendido entre o a divisa do estado do Rio de Janeiro com o Espirito Santo até o entroncamento com a BA-698, no estado da Bahia, ela atua no Espirito Santo há 7 anos.

Ao finalizar, o Presidente da Assembleia Legislativa advertiu a concessionária.

“Não brinque com o povo Capixaba Eco 101, não vamos admitir, pedimos a suspenção e esperamos que o Ministério Público Federal, tome suas providências para nós não possamos deixar que a indústria da multa volte ao Espirito Santo”, finalizou.