Linhares: Prefeitura gasta mais de R$ 233 mil com publicidade denuncia vereador

Uma única campanha publicitária de volta às aulas, veiculada em fevereiro deste ano, demandou um gasto público de R$ 233.774,69 em Linhares. O valor foi divulgado e criticado pelo vereador professor Antônio Cesar (PV), durante fala na Tribuna Livre da Câmara Municipal, na última segunda-feira (24).

O parlamentar solicitou, via requerimento, as planilhas de gastos da campanha, por considerar que os conteúdos anunciados destoavam da realidade percebida nas escolas, bem como no dia a dia de professores e estudantes.

Segundo o vereador, somente uma reportagem veiculada no programa de televisão “Em Movimento”, que se propôs a mostrar a criatividades dos profissionais da Educação em tempos de pandemia, custou R$ 13 mil.

“O conteúdo causou muita controvérsia por não refletir a dura realidade enfrentada pelos educadores, que até hoje ‘se viram nos 30’ para dar conta de ensinar seus alunos. O mais impressionante é que, além de fantasiosa, a matéria teve um custo bastante considerável”, critica Antônio César.

Dos R$ 233.774,69 gastos na campanha, R$ 56.061,20 foram direcionados a inserções em canais de televisão, R$ 3.533,60 em rádio e R$ 12.703,32 em sites e jornais, além de R$ 8 mil em outodoors, R$ 141.072,77 em produção e R$12.403,80 para a agência.

“Esses números nos assustam, pois foram investidos em ações que apenas mascaram os problemas enfrentados nas escolas ou fora delas, afinal, até hoje os professores precisam contar com a própria rede de internet – muitas vezes falha – para garantir o ensino híbrido. Em muitas escolas faltam itens básicos de higiene, como álcool em gel. Isso é uma afronta e me revolta!”, comenta o vereador.

Para dar mais clareza sobre a expressividade dos valores gastos, Antônio Cesar estima que com R$ 233.774,69 é possível, por exemplo, adquirir 46 computadores no valor de R$ 5 mil para equipar as escolas ou fornecer auxílio internet de R$ 70 para mais de 3 mil professores ou estudantes.

O vereador é autor de projetos indicativos que propõem a oferta de auxílio internet para professores e estudantes da rede municipal, mas que até hoje não foram acatados ou implementados pelo Executivo.

“Linhares está ficando para trás! Municípios vizinhos, como Aracruz, estão garantindo seu futuro com investimentos em educação. Sei que Colatina e muitas outras cidades também estão discutindo essas questões. Fica a pergunta: e Linhares?”, questiona o vereador.

“Depois que faltarem profissionais capacitados e capacitadas, quando as empresas não quiserem mais vir para cá, não vai adiantar colocar a culpa nos outros”, finaliza.