Governo garantiu priorizar vacinação de trabalhadores da Educação

No dia em que as aulas presenciais tiveram início nas escolas da rede municipal de Vitória, Serra e Vila Velha, o governo do Estado deu uma importante notícia aos trabalhadores da Educação (professores, coordenadores, pedagogos, serventes e auxiliares de secretaria, dentre outros): vai priorizar a vacinação dos profissionais do ensino, assim que novas vacinas sejam adquiridas pelo Estado.

O anúncio foi feito hoje (1º) pelo presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputado Bruno Lamas (PSB), durante audiência pública realizada a pedido do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes) para discutir o assunto.

“Fiz contato com a Secretaria de Saúde. Conversei com o Nésio (Fernandes, secretário da Saúde) e com o governo do Estado. A decisão já está tomada. Os profissionais da Educação serão priorizados com a chegada da vacina. Ponto. Mesmo com o plano nacional de vacinação diga o contrário. Essa é uma decisão de governo”, frisou Bruno.

O deputado ainda insistiu: “Mas aí vem as perguntas: Qual é a chance de comprarmos a vacina? Quando isso vai ocorrer?

O secretário me disse que é enorme. Nós nos associamos a alguns estados. Há um consórcio de 17 estados firmados para a compra de uma vacina russa (Sputinik V) ou de qualquer outra nacionalidade. Repito: com a chegada das novas doses, os profissionais da educação serão priorizados”.

O anúncio do deputado foi motivo de comemoração por parte dos diretores do Sindiupes  Gean Carlos Nunes, Ildebrando Paranhos, Noemia Simonassi e Lorraine Rangel, que estiveram presentes na audiência pública.Além de Bruno e os diretores do Sindiupes, participaram da audiência pública os deputados Alexandre Quintino PSL), Sergio Majeski (PSB) e Luiz Durão (PDT).

“Hoje, há muita preocupação e medo por parte dos profissionais em estarem contraindo a doença. Defendemos a prioridade na vacinação, tendo em vista o retorno das aulas presenciais, mesmo de forma híbrida. Com essa decisão (de priorizar os profissionais da Educação), o governador mostra responsabilidade com a comunidade escolar”, comemorou Noemia.

Segundo ela, só no Estado são 30 mil trabalhadores em Educação. Juntando com as redes municipais, totalizam 100 mil pessoas.

Atualmente, os profissionais da Educação estão inseridos na terceira etapa de vacinação, previstos para ser imunizados no quarto mês após a liberação da vacina.

O Ministério da Saúde coloca a categoria dos educadores após idosos, profissionais de saúde, indígenas e pessoas com doenças crônicas. Ainda não há data para aplicar doses em profissionais do ensino. Nas contas do governo federal, são 2,3 milhões de docentes do ensino básico e superior.