Golpistas se passam por deputados para pedir dinheiro

Os deputados estaduais Bruno Lamas (PSB), Xambinho (PL) e Janete de Sá (PMN) enviaram mensagens aos seus seguidores nas redes sociais esta semana com um pedido em comum: Que não deem dinheiro a golpistas que estão se passando pelos parlamentares ou suas equipes por meio de telefonemas ou mensagens enviadas pelo WhatsApp.

Em todos os casos, os celulares são desconhecidos dos políticos. Mas os golpistas se apresentam usando imagens semelhantes às dos perfis dos parlamentares em suas redes oficiais.

Nas postagens de alerta, os deputados afirmam que “as providências cabíveis já estão sendo tomadas junto à polícia”.

Num dos diálogos, na última segunda-feira (12), pelo WhatsApp, uma pessoa ligada a Bruno recebeu o pedido de depósito da quantia de R$ 1.180, que seria supostamente para o parlamentar, conforme prints feitos pelo deputado.

“Estou trabalhando ainda, mas sem problemas”, disse a pessoa que tem vínculo com o parlamentar.

“Consegue efetuar um pagamento para mim? Amanhã, te transfiro o valor”, indaga o golpista, que se passa pelo deputado.

“Consigo sim”, afirma o aliado do político.

“Ok. Vou enviar os dados”, garante o estelionatário.

“Já ia pedir isso. Você precisa de quanto?”, questiona a suposta vítima.

“1.180,00, o valor”, declara o golpista. A quantia não foi repassada porque a pessoa desconfiou da ação do bandido.

 

Em outra situação, o golpista tenta demonstrar afinidade com a suposta vítima.

“Está em casa?”, questiona a pessoa que se passa pelo deputado.

“Sim”, diz o aliado.

“Preciso de um favor”, insiste o estelionatário.

“Quem é?”, indaga o aliado do deputado.

“É o Bruno”, garante o golpista.

Ao perceber o golpe, Bruno fez um alerta nas suas redes sociais.

“Estelionatários estão tentando se passar por mim. Informo que este número nunca foi meu e nem autorizei ninguém a falar em meu nome. Se te chamarem, não responda. Já estou tomando as providências junto à polícia”, afirmou o deputado.

Situação semelhante ocorreu com Xambinho, que adotou a mesma estratégia ao alertar as pessoas em suas redes sociais. Já Janete chamou a atenção para o que ela chamou de “golpe do telefonema”.

Por meio dele, os infratores ligam de um telefone desconhecido, em alguns casos de fora do Estado, para celulares de amigos, conhecidos ou familiares para pedir dinheiro.

“Golpistas estão ligando de telefone desconhecido se passando por mim e minha assessoria a fim de conseguir dinheiro. Não repasse seus dados! Isso é golpe”, declarou Janete nas redes sociais.