Bem-estar e novo lar para animais em evento de adoção na capital

As pessoas que passaram pelo Parque Manolo Cabral, na Praia do Canto, neste domingo (3), depararam-se com um som diferente dos habituais pássaros que cantam e encantam na região.

O local foi tomado por latidos e miados dos animais disponíveis no “Evento de Adoção de Cães e Gatos”, promovido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam) em parceria com a Sociedade Protetora dos Animais do Espírito Santo (Sopaes).

O prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini, prestigiou o evento e avaliou positivamente o trabalho que vem sendo realizado pela Semmam.

“Nós reformulamos toda política pública de cuidado com os animais em Vitória e hoje nós temos uma gerência atuante e com bons resultados. Os eventos de adoção têm virado uma feliz rotina na nossa cidade, cuidando dos animais e aumentando a interação desses com as pessoas. Hoje, estamos com essa ação efetiva em que os animais saem com um novo lar e uma nova família”, afirmou o prefeito.

O secretário municipal do Meio Ambiente, Tarcísio José Föeger, falou sobre a importância desse tipo de ação e da atuação do poder público.

“É importante quando o poder público reconhece a necessidade de viabilizar essa adoção. Muitos têm interesse em adotar o animal e do outro lado sabemos que existem muitos animais abandonados, que não têm uma família e que são acolhidos por várias entidades que desenvolvem um papel fundamental.

Nossa função, enquanto poder público, é viabilizar eventos como esse para a efetivação das adoções. A gente une as pontas: o animalzinho que precisa de uma família e a família que deseja ter um animal em casa. É essa união que a gente faz, que a gente articula sempre”, afirmou o secretário.

Resgate

Os 31 cães e 11 gatos, entre adultos e filhotes, disponíveis foram resgatados por diversos protetores que atuam de forma independente e por grupos de apoio formados por cidadãos. O evento de adoção contou com a participação de animais resgatados pelas entidades Auauberg, Comedouro Legal, Guerreiros de 4 patas, Patas do Canto e Focinho Feliz.

Mônica Simonetti Belo, de 50 anos, é uma das protetoras. Na manhã de hoje, Mônica levou dois gatos para adoção.

“Para nós, que somos protetores individuais, que não temos muito apoio financeiro, é fundamental essa mobilização da Prefeitura. Quando a Prefeitura toma a frente, a organização é maior e a credibilidade também. Esta é uma oportunidade de conseguirmos bons adotantes para os animais em uma relação olho no olho, fora das redes sociais. Presencialmente, temos a sensibilidade de perceber se aquela pessoa dará o que o animal precisa”, analisou a protetora.

Simone também avaliou as campanhas que vêm sendo desenvolvidas em relação à saúde dos animais na cidade.

“É fundamental que a gente tenha campanhas como essas da Prefeitura, como as de castração animal e também de vacinação. Foi a consciência dos cuidados que um animalzinho precisa que me levou a hoje estudar Medicina Veterinária. A administração está de parabéns por cumprir com o seu papel”, finalizou.

Sorrisos e afeto

A auxiliar de serviços gerais Marinalva Pereira, de 44 anos, foi com a nora e a neta adotar dois animais. “Amo muito os bichinhos. Já tenho um cãozinho adotado que está velhinho e hoje ele vai ganhar a companhia de mais um amiguinho”, afirmou.

O outro filhote foi para o lar da Rosiane Nascimento de Oliveira, nora de Marinalva.

De toda a família, quem comemorou mesmo a decisão foi a pequena Lorena de Souza Josino, de 10 anos e neta da auxiliar de serviços gerais. “Agora vou mais ainda na casa da vovó”.

Castração animal

A ação contou, também, com o apoio do programa “Vitória da Castração Animal”. Durante todo o evento, foram divulgadas ações da iniciativa, instituída no último mês de agosto, por meio do Decreto Municipal nº 19.818/2021.

O programa é a primeira política pública permanente do Espírito Santo que prevê o controle populacional de cães e gatos, com acesso aos procedimentos pela disponibilização dos serviços em fluxo contínuo.

Vacinação

Também houve aplicação da vacina anti-rábica pela equipe do Centro de Vigilância em Saúde Ambiental (CVSA), da Secretaria Municipal de Saúde (Semus)