Felipe Rigoni: 217 projetos avançam no edital de emendas parlamentares

02-10-2019   Redação Imprimir

A primeira etapa de avaliação do edital de emendas parlamentares do deputado federal Felipe Rigoni foi finalizada. Dos 549 projetos inscritos, 217 continuam na disputa. Foram 15 dias de análise, que ponderou quatro critérios de admissibilidade: o quão estruturante é o projeto, e qual a vulnerabilidade do município, o impacto gerado e a qualidade do projeto. Os selecionados serão agora submetidos à avaliação técnica do conselho de especialistas.

 

“Buscamos uma solução inovadora para tornar a distribuição dos recursos mais transparente e democrática. São R$ 12 milhões para 15 áreas temáticas, como saúde, educação e segurança. A qualidade dos projetos impressionou o nosso time e comprovou que os capixabas desenvolvem ótimos trabalhos. Nossas escolhas vem sendo pautadas por critérios técnicos e garantirão o atendimento de mais capixabas”, argumentou Rigoni.

 

Lançado no início de julho, o edital recebeu inscrições de todas as microrregiões do Espírito Santo. Embora a Grande Vitória tenha o maior volume de projetos, a microrregião Litoral Sul foi quem mais aprovou na primeira etapa, com 54,8% de selecionados. Dos 78 municípios, 50 permanecem com representantes no edital. Vitória, com 57 projetos, Linhares e São Mateus, com 16 cada, estão entre os municípios com maior número de aprovados.

 

“Uma de nossas preocupações foi a capacidade estruturante de cada projeto. O investimento em uma escola, por exemplo, multiplica o impacto da iniciativa e garante atendimento por mais tempo. É diferente da aquisição de bens móveis, que se degradam mais rapidamente. Nossa ideia é conseguir estimular o crescimento de boas iniciativas e garantir sua sustentabilidade futura”, explica a assessora de relacionamento Julietty Quinupe.

 

O edital

 

Puderam participar órgãos públicos e instituições do terceiro setor com atuação no Espírito Santo. Após a primeira etapa de seleção, os projetos serão encaminhados para análise técnica do conselho consultivo do mandato, formado por especialistas de diferentes áreas. Definidos os finalistas, a população escolherá por meio de votação no aplicativo “Nosso Mandato” onde cada recurso será aplicado. Os recursos serão liberados no orçamento de 2020.