“Não descarto disputar o cargo de Governador em 2022” Guerino Zanon

16-09-2019   Ronaldo Almeida Imprimir

Em entrevista ao Radar Capixaba o único político a comandar Linhares por quatro mandatos a frente do Executivo Municipal respondeu as seguintes questões:  

Disputará o quinto mandato de prefeito em 2020? Em quem votou para presidente e se está arrependido da escolha?

Entre outras questões, ele também respondeu se em seus projetos políticos futuros está o de disputar o cargo de Governador do Estado?

Isto e muito mais você lê nesta entrevista exclusiva no Radar Capixaba. 

 

Radar Capixaba: De que forma se iniciou sua entrada para a vida pública?

Guerino Zanon: Minha entrada na vida pública se deu por duas formas, a primeira foi no início da minha carreira profissional quando eu comecei dando aulas pelo Estado e pela Prefeitura de Vitória, e passados vários anos, em 1993 fui convidado para fazer parte da gestão do então prefeito José Carlos Elias, onde exerci o cargo de Secretário de Planejamento que foi meu primeiro cargo político, já que se tratava de cargo de confiança.  

Radar Capixaba: As demandas de hoje são muito diferentes das demandas de 93?

Guerino Zanon: São diferentes em vários aspectos. Linhares era essencialmente uma cidade que vivia da agricultura, qual era a grande demanda da época? Era ter estradas bem patroladas, estradas vicinais bem cuidadas, essa era a grande demanda.

Não se falava muito de qualidade da educação nem da saúde, por que era o Estado que fornecia esses serviços para população, hoje todas essas demandas é quase 100% os municípios que oferecem.

Na área de saneamento básico ninguém se ouvia falar, até tinha um chavão que quando eu entrei eu tentei mudar isso, por que eu nunca concordei que era “Prefeito bom não fura buracos em rua para botar cano de esgoto, por não dar voto, por que é uma obra que ninguém vê”, e nós mudamos essa realidade.

Quem estiver lendo essa entrevista no Radar Capixaba vai lembrar, minha primeira preocupação foi resolver o problema de quatro comunidades que viviam em condições sub-humanas, que foram o antigo Pó do Shell, Pó do Aviso, que ainda hoje reclamam do valão, e com toda razão, mas quando assumimos aquilo ali, nada existia, era tudo lama, e o valão ficava no meio da rua.

Tínhamos também o Canivete e Santa Cruz, Santa Cruz para se ter uma ideia, para se passar de uma casa para outra, tinha que colocar tábuas ou pular os valões que estavam  abertos nas ruas.

Para mudar isso, tudo que sobrava de recursos no primeiro e segundo mandato, eu direcionava para o SAAE, para fazer obras de saneamento básico, nestas duas gestões nós implantamos 11 estações de tratamento de esgoto, hoje temos 15, em 2012 deixamos a cidade com 70 a 75% de recolhimento e destinação correta de esgoto.

Radar Capixaba: Quais foram as principais mudanças na sua opinião como Secretário em 93 e hoje em 2019 como prefeito de quatro mandatos?

Guerino Zanon: Quando olhamos lá pra trás, Linhares não tinha nenhum estádio de futebol, hoje nós temos 18 implantados nas comunidades e no interior. Só tínhamos o Ginásio de Esportes do BNH, hoje temos quase que um Ginásio por comunidade.

Nós tínhamos 20% ou menos da cidade com pavimentação, hoje posso dizer que vamos chegar ao final do ano, com algumas exceções de áreas que foram ocupadas de forma irregular, com 100% de pavimentação.

Temos quase 100% da drenagem de rede de esgoto implantada, foram algumas exceções de áreas da beira das lagoas.

As unidades de saúde se espalharam pelos bairros, hoje temos um sistema de saúde ambulatorial muito bom, posso dizer um dos melhores do país, comparando em termo de distribuição perca pita.

As demandas hoje são outras, hoje falamos em mobilidade, em pontos de internet distribuídos por vários pontos da cidade, então como disse, estamos avançando nas demandas da sociedade, mas procurando sempre fazer uma gestão de avanços com inovação.

 

Radar Capixaba: De 1993 até 2019, já se passaram 26 anos de vida pública, e hoje pela quarta vez o senhor ocupa o cargo de prefeito. Qual é o sentimento que o senhor tem por ter sido escolhido tantas vezes para administrar o município de Linhares?

Guerino Zanon: Foi com muita alegria que recebi a indicação dada pelas urnas para exercer meu quarto mandato, a responsabilidade é muito grande, é prazerosa, mas é grande.

Mas temos que olhar para trás e ver como estava à cidade naquele momento quando iniciamos em 93, e ver o que foi construído ao longo de todos esses anos, e tem que ver coisas boas, se não,  não faz sentido.

Mas se me deram o quarto mandato é porque essa mesma sociedade olhou quais foram os avanços dos três primeiros mandatos e perguntaram, o Guerino é merecedor ou não de mais um mandato?

Entenderam em 2016 que eu era merecedor, e sou muito agradecido por isso.

Radar Capixaba: O senhor é reconhecidamente, tanto por aliados como por adversários, um político de grande influência em nossa região e é considerado um campeão de eleições, entretanto até hoje não conseguiu fazer um sucessor e nem eleger deputados do seu grupo político. O que tem dado errado?

Guerino Zanon: Nos últimos 23 anos, eu fiquei fora da disputa por apenas uma vez, e nosso candidato naquela ocasião foi o Wanderlei Ceolin, que disputou contra o Zé Carlos Elias e o Nozinho Corrêa.

Mas na verdade, eu acho que ninguém faz ninguém, se alguém algum dia me falar que me fez não é a realidade.  Nós damos oportunidades às pessoas e elas aproveitam ou não.

Em 93, o ex-prefeito me deu a oportunidade me colocando numa Secretaria muito boa para aparecer e esteve comigo na eleição, mas eu precisei fazer meu dever de casa.  A gratidão, você tem que ter para quem te ajuda, mas você também precisa saber que você tem que construir a sua identidade, principalmente para chegar ao cargo de prefeito de uma cidade, se não, você não chega.

E tem um fato que muita gente não sabe, o Wanderley em nenhum momento foi construído, em nenhum momento foi preparado com possiblidade para chegar com mais visibilidade nas eleições, ele chegou faltando três meses para as eleições.

Na verdade um grupo de vereadores chegou até mim, e disse, queremos ter o Wanderley como nosso candidato a prefeito, então eu falei, se vocês querem então tá, e eu fui junto, e todos nesta cidade sabem o quanto eu trabalhei para que ele fosse eleito.

Mas agente percebia, que se em algum momento a sociedade visse a possibilidade do Nozinho ser eleito, os eleitores do Zé Carlos ou do Wanderley, um iria descarregar os votos no outro, e foi isso que aconteceu, grande parte dos eleitores do Wanderley que estavam na nossa base, descarregando no Zé Carlos os votos que seriam do Wanderley, eu vi isso dentro da minha família, e na reta final, por medo do Nozinho chegar à prefeitura elegeram o Zé Carlos.

 

Radar Capixaba: E com relação a não conseguir eleger nem deputado federal nem deputado estadual da sua base?

Guerino Zanon: Em 2002 tivemos no nosso palanque Valdir Massucati como Deputado Federal, ele teve 34 mil votos, e tivemos três candidatos a deputados estaduais, que foi Toninho de Freitas, Esmael Loureiro e Zé Belizário, e eu sempre falava, vão ficar os três de fora, não tem espaço pra todo mundo. Todos os três tiveram mais votos que o 30º que foi para a Assembleia, tiveram 14 mil votos aproximadamente cada um. O Juca Gama que despontou, foi reeleito com 19 mil votos basicamente.

Nós tivemos agora o Lucas Scaramussa, foi o nosso candidato, eu apoiei o Lucas e pedi voto pra ele, mas não foi um candidato que saiu de dentro do grupo, ele se colocou candidato, como ninguém se colocou claro que fomos com ele.

Seria diferente se eu tivesse trabalhado o Lucas para ser o nosso candidato, como ninguém mais se colocou, é diferente do candidato se colocar e agente dar apoio a ele.

Radar Capixaba: O senhor está preparando algum dos seus filhos para sucedê-lo ou acredita que algum vá seguir carreira política?

Guerino Zanon: São coisas distintas, entre eu lançar ou se algum vai seguir carreira política, eu lançar não, não penso em lançar, o que eu falei para quem não é da família, serve para família também.

Se algum dos meus filhos em algum momento quiser ingressar na política terá o meu apoio, mas eu não serei o incentivador. Não estou preparando nenhum deles para me suceder, até pelo fato de serem meus filhos eu espero que eles, por iniciativa própria, se despontem e deem seus primeiros passos.

 

Radar Capixaba: O senhor já foi eleito com boa votação Deputado Estadual por duas vezes, por que nunca tentou disputar uma eleição de Deputado Federal?

Guerino Zanon: Não disputei e nem pretendo disputar. Não é minha praia, pretendo ficar aqui pelo Estado, não me sentiria bem num cargo de Deputado Federal, saindo daqui na terça-feira e voltando na quinta, não gostaria de ter essa função pública.

Senador da República também é um cargo que me permite não ficar para baixo e para cima pegando e descendo de avião, você pode chegar lá na segunda-feira e voltar na sexta ou ficar lá 15 dias e voltar, por que você tem um mandato mais prolongado que é de 8 anos.

Abra aspas aqui para o Senado dentro de um contexto, até por que o Senado é um cargo executivo, se aparecer à possibilidade de concorrer ao Senado disputaria com muito prazer.

 

Radar Capixaba: Disputar o cargo de Governador está nos seus planos?

Guerino Zanon: Sempre fui do grupo do Paulo Hartung, nestes vinte anos de vida pública ele disputou por três vezes, depois lançou o Governador Casagrande, então não tivemos espaço para pleitear uma disputa para o governo.

O Paulo Hartung quando deixou o governo, deixou afirmando que não disputaria o Governo novamente, então ele abre a possibilidade para todos os seus aliados ou outros companheiros que possam chegar, pleitearem a disputa para o Governo do Estado, eu estou no meio político, então caso apareça, eu não descartaria a oportunidade.

Radar Capixaba: O ex-governador Paulo Hartung pegou muita gente de supressa ao não disputar a reeleição em 2018, o senhor sendo tão próximo dele também ficou surpreso?

Guerino Zanon: O Paulo há muito tempo já falava, não sei se para muitos, mas para mim ele falou, “estou cumprindo da melhor maneira possível à tarefa que me deram para o terceiro mandato, vou deixar o Estado talvez na melhor situação de todos os outros Estados do país, mas eu não gostaria de disputar o quarto mandato”. Isso ele me falou um ano antes.

Mas foi uma decisão de foro íntimo, ele não via o cenário nacional animador, para quem teve três mandatos, assumir um quarto que seria de confronto, ele sinalizava que não queria estar à frente de um governo numa situação política, que em todo o país seria de muitos confrontos ideológicos, e ele com vários problemas pessoais que passou neste mandato, dos sacrifícios que teve que fazer, eu falo até sacrifícios, por que o Paulo deixar de fazer vários atendimentos em termo de gestão pública como ele precisou fazer, não foi fácil pra ele.

Em certa ocasião ele disse “eu não posso ir para um quarto mandato com todos os problemas pessoais que eu tive, e mais, num cenário nacional que não contribuirá em nada, para uma pessoa como eu” ele falou.

Em qualquer cantinho que agente vai, no Rio Grande ou no Ceará, já ouviram falar do Espirito Santo, do reconhecimento do que o Paulo fez na questão da gestão pública, isso é muito bom para nós.

Hoje o atual Governador já reconheceu que se pensar em desenvolvimento social, tem que pensar primeiro nas contas públicas, como fez o Governador Paulo Hartung.

Radar Capixaba: Em 2016 o senhor foi eleito prefeito com 73% dos votos em Linhares, a que o senhor credita uma votação tão expressiva?

Guerino Zanon: Já tinha acontecido isso em 2008, quando eu disputei com o Zé Carlos, mesmo o Zé Carlos sendo aos olhos do cidadão Linharense, considerado bom e uma pessoa séria, mas naquele momento eles colocaram na balança, entre dois que entendemos que são bons, quem pode avançar mais, e entenderam que era o Guerino, e me deram 64% dos votos, coisa que eu nunca esperava contra um gestor que era o Zé Carlos.

Em 2012 o eleitor conhecia o Guerino, já conhecia as primeiras duas gestões, de 97 a 2004 e 2009 a 2012, que eu considero o nosso melhor mandato, mesmo construindo muito na gestão de 2012, quem veio para eleição, veio com a proposta que poderia avançar mais ainda, e apostaram, mas viram que deu errado.

Em 2016, quando eu andava pelas ruas, o sentimento era esse, as pessoas não iam apostar em ninguém novo naquele momento, novo ou vendendo facilidade, por que sabiam que o momento seria de muitas dificuldades.

Por isso eu fui para a campanha com o pé no chão, falando o que era possível, e as pessoas entenderam que naquele momento eles queriam um gestor que fizesse o possível, sem nenhum malabarismo, sem nenhuma mágica como fizeram em 2012.

Aí, olharam no retrovisor, qual é o retrospecto histórico do Guerino como gestor? Era um histórico que entenderam que era bom, e me deram um quarto mandato com uma votação expressiva.

Radar Capixaba: Baseado em tudo isso que o senhor falou, o senhor vai disputar o quinto mandato de prefeito?

Guerino Zanon: Eu estou muito focado em manter as políticas públicas que estamos implantando e ampliá-las, estamos conquistando isso dia a dia, o meu foco está sendo este.

Mas eu sempre falei, que desde que eu larguei a minha escola em 1º de Janeiro de 1993 para ser Secretário na administração do prefeito Zé Carlos Elias, eu tenho a política como algo presente no meu dia a dia, eu escolhi a política como uma profissão.

Eu escolhi exercer cargos públicos, sejam eletivos ou de nomeação, como foi o cargo de Secretário de Estado por duas vezes. Se eu sentir que nós conseguimos avançar e inovar nesta gestão, colocarei meu nome na disputa, caso contrário darei oportunidade a outro com ideias melhores.

Radar Capixaba: Se as eleições fossem hoje, o que o senhor falaria a população para te elegerem pela quinta vez prefeito de Linhares?

Guerino Zanon: Neste momento muito pouco ainda, nós temos ainda um ano e meio, é muito pouco em termos de entregas, as entregas visíveis, mas as entregas que não estão visíveis e que foram muitas, mas quem mexe com o cotidiano das pessoas elas foram imensas, e aí eu posso entrar e conversar com a sociedade no período eleitoral.

Hoje nós temos um sistema de consultas e exames que é totalmente diferente de como se fazia antes. O sistema com interferência política era tremenda, hoje não adianta o prefeito ligar lá para o sistema e falar assim, você pode dá um jeitinho para arrumar um exame para fulano de tal, não pode mais.

Hoje a pessoa vai lá com seu cartão do SUS entra na fila e espera a sua vez, quem vai definir sua emergência são os responsáveis pela marcação de consultas, os profissionais da saúde e os médicos.

Se um pai me pedir para arrumar uma vaga para ele, ou eu ou qualquer um agente público, vereadores ou Secretário, uma vaga num CEIM num bairro tal, ele sabe que o Guerino não vai ligar para o Secretário para pedir, e se algum vereador ou agente público fizer isso, não vai ter sucesso.

O próprio HGL que é onde temos os maiores conflitos, é a porta de entrada onde chegam os casos de maior urgência, nós temos este ano uma tranquilidade de trabalho e de entrega onde são feitos ali no sistema de funcionamento.

Nossa cidade está muito bem cuidada, são palavras dos linharenses e palavra de quem nos visita, Linhares esta bonita, esta moderna, mas ainda muito longe do que podemos fazer.

Nossos servidores têm seus vencimentos sempre depositados até o dia 25 de cada mês.

Nossos alunos estão recebendo educação de boa qualidade e alimentação de ótima qualidade, e recebem uniformes todos os anos.

Fizemos muitas entregas que não são obras físicas, a partir de agora vamos começar a fazer no Bairro Planalto obras onde estamos investindo dez milhões de reais, até a calçada cidadã os moradores irão receber.

Temos a avenida que liga Lagoa Nova a Bagueira sendo pavimentada com ciclovias, e temos várias outras entregas e já entregamos dois conjuntos habitacionais junto com a Caixa Econômica, que estavam aí sendo prometidos a quatro, cinco anos, que foram o Jocafe II e Mata do Cacau.

Agora nos preparamos para realizar obras estruturantes e obras de esporte e lazer nas mais variadas comunidades. Então mesmo estando muito longe do que vamos fazer até o final de 2020, eu posso dizer se a eleição fosse hoje eu já teria condições de sair às ruas me encontrar com a população e manter um diálogo bastante positivo com relação ao pleito eleitoral.

Radar Capixaba: Mesmo com tanto desenvolvimento, Linhares ainda enfrenta gargalos que parecem quase insolúveis: Podemos citar a violência de uma forma geral, mas principalmente contra as mulheres, problemas com a mobilidade urbana e a poluição das lagoas. São problemas antigos que vem se agravando, como o senhor pretende resolver isso?

Guerino Zanon: Linhares lidera a violência contra as mulheres, mas entre outros tipos de violência também, eu fiz duas reuniões com os órgãos de segurança do município, Secretário de Segurança Municipal junto com nossa Secretaria de Assistência Social, que tem feito um belo trabalho, tem discutido com a sociedade, não só a violência contra a mulher, mas as condições em como vivem nossos habitantes.

Mas precisamos dos órgãos do Estado funcionando pelo menos a contento, coisa que hoje não temos. É caótica a situação hoje da nossa delegacia que não tem os delegados nomeados, não tem investigadores, não tem carros, não têm psicólogos, então o município está ficando encarregado de fazer toda essa política pública que deveria ser em grande parte exercida pelo Estado.

Precisamos unir forças governo do Estado e municipal e manter um diálogo muito aberto com toda a sociedade, com relação à violência contra a mulher, não é aceitável o que estamos presenciando hoje.

Sobre o trânsito, a realidade é que em termos de infraestrutura de mobilidade, nós vemos o numero de automóveis e de motocicletas crescerem absurdamente, e nenhum movimento se fez para dar resposta para esse crescimento da frota.

Quando assumimos lá no primeiro mandato, nós começamos a fazer algumas ações, que foi o espalhamento da cidade, as pessoas sentiram isso, nós começamos a pavimentar e colocar a infraestrutura da Getúlio Vargas em direção ao setor norte da cidade, conseguimos espalhar um pouco, mas o crescimento foi muito maior do que imaginávamos.

Na região central o que esta acontecendo é que o comércio continua centralizado, por que a rodoviária é ali, a prefeitura é aqui, os hospitais estão localizados no centro, e eu digo que não será fácil resolvê-los, vou continuar trabalhando para descentralizar a cidade, dar aos bairros condições para que os comerciantes possam também exercer o papel relevante de atendimento da comunidade local.

A pergunta que sempre vem, o estacionamento rotativo é a solução? Eu sempre respondo é parte, e nós já estamos licitando, não foi ainda colocado em prática por que houve uma ação judicial e ficamos dois anos parado com o processo.

Mas se este país voltar a crescer, um pontinho que seja, não tem cidade nenhuma que vai dar conta de estacionar os carros, a não ser se nós espalharmos a cidade como estou falando.

Radar Capixaba: E com relação ao esgoto que é jogado nas lagoas dentro da cidade, o que será feito?

Guerino Zanon: Nas minhas gestões, a prefeitura e o SAAE fizeram um belo trabalho da retirada de esgoto das lagoas. O que não pode acontecer, e aí eu chamo a sociedade para participar disso, é você construir e vir alguém que não tem responsabilidade, destruir tudo e ficar por isso mesmo, achando que vai vir outro depois e vai dar jeito outra vez.

Não tem mais dinheiro e mais condições de se recuperar sempre aquilo que já foi um bem no passado, a administração anterior deixou todo sistema de esgoto destruído, nós estamos a dois anos recuperando esse sistema, hoje posso dizer que pouquíssimo esgoto está sendo lançados nas nossas lagoas urbanas, as nossas bombas, tanto das estações de elevatória quanto das estações de tratamento, estão funcionado, e hoje se uma falhar nós temos uma reserva par substituí-la.

Nós temos ainda uma rede de casas margeando as lagoas que nós ainda não temos solução para elas, por que as casas estão construídas niveladas margeando as lagoas.

E não adianta eu falar, que é possível o município de Linhares hoje ter uma ação de retirada dessas casas e a colocação dessas pessoas em outro lugar.

Fora isso, posso dizer que até o final de 2020 serão mais de 200 milhões que vamos fazer de investimentos, que já estamos licitando as obras, a grande parte dela é de infraestrutura urbana e rural, nós estamos trabalhando para que as vilas mais povoadas, como Humaitá, Chapadão das Palminhas, Japira, Bagueira, Baixo Quartel, Ruas das Flores em Rio Quartel, Povoação e Regência, tenham seu sistema de coleta e tratamento de esgoto para que mais nada seja jogado no meio ambiente.

Radar Capixaba: O senhor sempre foi do grupo adversário ao Governador Casagrande, como está à relação hoje?

Guerino Zanon: A relação esta boa, estive por duas vezes reunido com o Governador, me reúno com a equipe dele com muita frequência, precisamos muito do Governo do Estado, eu já falei isso publicamente em duas cerimonias, não adianta querer falar que temos condições de levar todas as demandas que estão hoje colocadas e que precisamos implementar somente com os recursos do município, por que não vamos conseguir.  

Linhares esta crescendo além da média Estadual e muito além da média Nacional, e não estou medindo esforços para termos o Governo do Estado como parceiro do município.

Radar Capixaba: Como o senhor tem visto a política em nível nacional?

Guerino Zanon: Difícil, eu andei muito nestes dois anos e meio de gestão, e agente conversa com o empresário nacional, que conversa com o empresariado internacional,  todo mundo está com dinheiro querendo investir no Brasil, infelizmente com tudo que aconteceu nos últimos anos, e o que esta acontecendo no atual governo, não está dando nenhuma segurança ao investidor internacional.

E sabemos perfeitamente, que se não entrar recursos externos, o nosso empresariado local, não tem capacidade de fazer investimento que são necessários para o país ter o boom do desenvolvimento.

No governo federal, agente nota que dentro do governo temos algumas ilhas de excelência, que estão trabalhando com muita eficiência, mas infelizmente nós temos o chefe do executivo que me parece que ainda está brincando de ser candidato.

Ele não tomou ainda consciência que esta dirigindo um país, que precisa de muita entrega pessoal, e muita competência no exercício do mandato.

Hoje precisamos que o presidente pare de ser administrado pelo grupo familiar, é o que agente está notando, e comece olhar que ele tem uma boa equipe, que só precisa dar apoio a essa equipe, nós temos tudo para deslanchar, caso contrario nós vamos continuar com muitas dificuldades.

Radar Capixaba: Baseado nisso, o senhor esta otimista ou pessimista com o Presidente?

Guerino Zanon: Se eu fosse falar a realidade de 2017, se eu falasse sempre das dificuldades, eu tenho certeza que nós não tínhamos chegado aonde chegamos, eu tento transmitir em cada palavra minha e cada ato, otimismo.

Eu acho a equipe do presidente muito boa, o que precisamos é que eles se ajustem, por que a equipe está ajustada, se deixar essa equipe trabalhar eu tenho certeza que vamos ter coisas muito boas, boas entregas para serem feitas aos cidadãos brasileiros.

Mas quando agente procura um gancho pra você se animar, não é a equipe, é o chefe do governo, é o presidente, ele vem lá e joga tudo lá pra baixo novamente.

E como ele vai ser o chefe do governo por mais três anos e meio, eu não estou muito animado com ele não, mas eu votei nele.