DECISÕES: PRECISA SER TÃO DIFICIL?

04-06-2019   Redação Imprimir

Muitas vezes nos deparamos com momentos em que precisamos decidir e algumas decisões poderão mudar nossas vidas no amanhã ou nos próximos anos, como então fazer a melhor escolha?

Pablo Neruda cita em um de seus artigos: Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências”.

Algumas decisões parecem ser tão simples! Mas mesmo as mais simples decisões com certeza terão um custo. Difícil mesmo é tomar decisões que implicam em riscos, tipo, diminuir o tempo de dedicação ao trabalho para obter melhor qualidade de vida, há o risco de não fecharmos a conta no fim do mês, porque menos trabalho pode significar menos dinheiro.

Seria então necessário aprender a viver com menos? Isso seria possível?

Sabemos que alguns de nossos hábitos não necessariamente nos trazem uma boa qualidade de vida, mas se mudarmos o que acontecerá? Afinal sempre fizemos dessa forma, seria essa a hora de mudar?

Tomar decisões não é mesmo fácil, poderíamos pensar, porque decidir demanda uma boa dose de discernimento e de coragem. Tendenciamos a pensar que precisamos tomar decisões assertivas, e que não temos tempo para errar!

Mas, sabedoria foi à escolha feita por Salomão quando Deus pediu que ele escolhesse o que desejava para sua vida, e como foi sábio o Rei Salomão! Mas e nós homens de pouca fé, como aprender a ser sábios?

Acreditamos que ser bem sucedido é o que nos fará felizes, mas não conseguimos lidar com as incertezas da vida. Não queremos sair da zona de conforto, isso poderia ser perigoso e precisaríamos aprender a lidar com o medo e as frustrações. O que fazer então?

Precisamos acreditar no potencial que existe em cada um de nós, confiar que somos capazes de mudar e de nos adaptarmos as mudanças. Usar a criatividade como ferramenta que abre portas, entendendo que independente de qual decisão tomar, a vida segue em frente e, segundo Spenor Johson, se você não mudar pode acabar extinto.